Anitta fala sobre a carreira e preconceito – Her Beauty

Anitta fala sobre a carreira e preconceito

Advertisements

Não há como negar, Anitta é e sempre foi bastante polêmica, principalmente pela sua sinceridade. A cantora recentemente foi entrevistada no YouTube pela  empresária brasileira Maris Raffa, e falou um pouco sobre a sua vida nos Estados Unidos, a carreira, e o preconceito que ela sofre e que já sofreu.

Atualmente, Anitta vive em Miami, uma escolha de cidade que disse ser estratégica nos âmbitos profissional e emocional: “É a cidade mais brasileira dos Estados Unidos. Tem uma grande quantidade de brasileiros aqui e ajuda a matar um pouco a saudade. Além disso, tem o mercado latino e americano muito fortes. É a junção desses mercados, a combinação perfeita”, comentou ela durante a entrevista.

Carreira internacional

Como todos já sabemos, a cantora não é conhecida somente no Brasil, pois já gravou músicas com várias outras celebridades latino-americanas, e já colaborou com grandes nomes da música mundial, como Madonna, Cardi B., Snoop Dogg, e o duo porto-riquenho Arcángel & De La Ghetto. 

Hoje, Anitta está empenhada em acelerar a sua carreira fora do país, gravando músicas em diversas línguas, principalmente inglês e espanhol. O seu hit mais recente, “Girl from Rio”, é cantado quase todo em inglês, e ressalta a mulher carioca. 

Porém, Anitta afirmou que vem deixando de ganhar dinheiro no Brasil por conta dos investimentos que vem fazendo lá fora: “O obstáculo maior para uma carreira internacional é abrir mão do que você já tem no Brasil. Deixo de ganhar muito dinheiro porque tenho que parar meus trabalhos lá. Você arrisca uma carreira que você construiu. Se falha, vão dizer que você não conseguiu e arriscou tudo. Se não acontece, posso perder tudo que conquistei no Brasil. É preciso muita coragem”, disse ela.

Preconceito

A questão do preconceito também surgiu nessa entrevista. Anitta comentou que no Brasil sofre mais preconceito com a sua música do que nos EUA, onde ainda não “é ninguém”. “Não adianta chegar aqui fora achando que você é grande. Não dá para entregar aqui o que entrego no Brasil. Tem que começar pequenininho. Aqui eu não sou ninguém, ainda estou começando. Não dá também para ser cabeça dura e não querer mudar. Você adapta seu produto ao novo mercado”, declarou.

Loading...

Além do preconceito com a sua música, Anitta já havia mencionado no ano passado, em entrevista para a revista Time, como é bastante criticada e alvo de preconceito pelo próprio público brasileiro: “A minha carreira sempre sofreu uma grande onda de críticas e preconceito. Quando decidi ser sexy, quando decidi contar a todo mundo que também gosto de garotas, quando decidi contar a todo mundo que troco de namorados como troco de roupas. Eu não ligo!”. 

Ela ainda continuou: “Sim, eu fiz um monte de cirurgias plásticas, e posso fazer mais caso tenha tempo. As pessoas ficam sempre tão chocadas. Mas eu fico tipo, o que você prefere? Que eu faça cirurgia plástica mas finja que não fiz? Dizer que foi o clima que me deixou mais bonita?”

 A entrevista, feita em setembro, também abordou o desafio que será para a música de Anitta se tornar popular pelos Estados Unidos. O principal ponto citado é em relação ao interesse por parte das gravadoras, que tendem a promover mais o talento local e falante de inglês do que cantores internacionais. 

Além disso, outro fator-chave para a popularidade em terras estadunidenses seria a viralidade: “Atualmente, quase metade do top 10 de músicas recebeu um impulso significativo do TikTok. E enquanto as danças de Anitta poderiam – e muitas vezes conseguem – ser trazidas facilmente para os desafios de dança virais, determinar que canção irá decolar é um negócio imprevisível”, ressaltou a Time. 

Porém, Anitta está tentando, e o primeiro passo é o lançamento de músicas no idioma falado por lá, como já é o caso de “Girl from Rio”. Pelo que parece, esse é um investimento que tem tudo para dar certo.

Advertisements