6 maneiras poderosas de praticar o amor próprio



A felicidade de cada pessoa, seja homem ou mulher, começa com o amor próprio. É simplesmente impossível encontrar paz interior e felicidade se você não aprender a amar a si mesmo primeiro. Valor próprio, autoestima e autoconfiança – tudo isso só pode ser construído sobre uma base sólida de amor, cuidado e respeito por você mesmo. Não importa como você é tratado por seus amigos, família ou parceiro, porque você ainda vai acabar se sentindo mal se não se apaixonar por si mesmo antes de qualquer coisa. O mais importante é aceitar quem você é com todas as suas paixões, pontos fortes, fraquezas, talentos, erros e muito mais. Vamos fazer uma jornada por dentro de nós mesmos e explorar as 6 maneiras poderosas de praticar o amor próprio.

Separe um ‘tempo para si própria’ todos os dias

Não importa se você é uma mãe ocupada, uma mulher de negócios, uma esportista ou todas as opções acima, é importante ter algum tempo para si própria todos os dias. Este é o tempo que você passa sozinha consigo mesma e se sintoniza com seus sentimentos, desejos, ouve o mundo ao seu redor e se prepara para começar o dia. É bom ter pelo menos 15 minutos pela manhã só para você para fazer meditação ou alguma outra prática de atenção plena antes que o resto do mundo acorde. Este é o momento em que você encontra o seu equilíbrio e se prepara para enfrentar o que quer que esteja por vir. Você pode fazer qualquer coisa: ler um livro, beber uma xícara de café, fazer ioga, correr ou simplesmente olhar pela janela. Este é o momento de se conectar com seu eu interior e com a paz que está sempre dentro de você, não importa o que esteja acontecendo.

Aceite o que você sente

Aceitar a si mesmo é difícil para a maioria de nós, pois ninguém realmente ensina isso nem para crianças, nem para adultos. Quando crianças, aprendemos que a aceitação de nossos pais é o mais importante, então ela se estende aos colegas de escola, professores, colegas estudantes, colegas de trabalho e à sociedade em geral. Mas que tal aceitar-se por quem você realmente é? Essa é a coisa mais importante do mundo. É mais fácil fazer isso quando você se sente bem e feliz – você simplesmente aceita a pessoa que você é e o que você está sentindo no momento. É tão natural! Mas quando você está se sentindo para baixo, com raiva ou magoada, você só quer fazer esse sentimento ir embora, você não consegue sobreviver, você prefere mudar seu foco para assistir a um programa de TV, pegar algo para beber ou qualquer outra distração. O fato é que você também deve estar presente nesses estados. Viva através deles, não os suprima, e eles irão embora porque nada é constante, nem mesmo a dor. De outra forma, emoções reprimidas podem se transformar em problemas maiores e até mesmo levar a problemas de saúde.

Ame o seu corpo

Seu corpo é o templo precioso da sua mente, alma e espírito que permite que você viva sua vida ao máximo. Ele permite que você vivencie emoções, comunique-se com as pessoas, seja criativo e construa relacionamentos significativos. Este corpo é a primeira coisa que conhecemos quando nascemos, pois aprendemos a perceber o ambiente usando nossos sentidos. Aprenda a aceitar e amar este belo corpo porque sua vida não seria possível sem ele. Reserve um tempo para alimentá-lo com alimentos saudáveis, crie uma dieta adequada para você, faça alguns exercícios para torná-lo mais saudável e tente fazer ioga ou qigong para se reconectar com seu corpo em todos os níveis. Seu corpo tem seu próprio ritmo e necessidades. Ele pode sentir cansaço quando você fica acordado até tarde e ele pode precisar sair para uma caminhada quando você preferir ficar em casa para assistir a um programa de TV. Aprenda a ouvir seu corpo e, à medida que você o torna mais feliz, seu humor e o ritmo de toda a sua vida também vão mudar para melhor.

Saia de relacionamentos tóxicos

Você pode pensar que se ama plenamente, mas isso não será verdade até que você saia de todos os relacionamentos tóxicos de sua vida. Sente-se e faça uma lista de todas as pessoas que têm o hábito de humilhá-lo, tratá-lo com desrespeito e menosprezá-lo de qualquer outra forma. Não importa se são seus pais, parceiro ou um amigo querido. Seja verdadeiro consigo mesmo e olhe para eles pelo que realmente são. Depois que você perceber que há pessoas em sua vida que o deixam infeliz, é hora de fazer mudanças. Se você não pode deixá-los ir (ainda), pense em traçar limites com eles. Não tenha medo de falar quando você se machucar com o que eles fazem ou dizem. Um simples ‘isso não é bom para mim’ é bastante importante, pois algumas pessoas podem simplesmente não entender o impacto que elas têm sobre os outros.

Organize-se

Na maioria das vezes, nossos arredores refletem o que está dentro de nós – o nosso humor, emoções e as paixões na vida. E vice-versa, as coisas com que nos cercam têm um impacto em nossa psique, humor e inspiração. É por isso que é tão importante organizar o espaço ao seu redor. Comece com seu quarto e armário – é o lugar onde fica a maioria das coisas velhas e inúteis. Separe as coisas que você gosta e quer usar das coisas velhas ou com as quais você simplesmente não se sente conectado. Você sempre pode doá-las ou até mesmo vendê-las, se desejar. Organizar seu armário dará espaço para coisas novas entrarem em sua vida, incluindo novos relacionamentos, hobbies e eventos positivos. Organize toda a sua casa, pois isso tem um impacto direto na sua sensação de segurança, felicidade e saúde.

Faça algo que você ama

Quando você ama a si mesmo, você naturalmente deseja fazer as coisas que lhe trazem alegria e felicidade. E vice-versa, se você faz as coisas que ama, também acumula amor por si mesmo, à medida que aumenta a autoestima e a autoconfiança que o tornam um ser humano mais feliz. Você não precisa se tornar um profissional ou um especialista para ficar feliz com o que faz – é o processo que mais importa! Se você gosta de correr e isso te faz sentir melhor, crie o hábito e aproveite ao máximo. Se você adora pintar ou desenhar, faça isso sempre que tiver tempo livre e você se sentirá melhor. Fazer algo não pelos outros e não porque traz prestígio ou dinheiro, mas porque simplesmente te faz feliz é uma maneira segura de praticar o amor próprio.